DCArquitetura

A DCArquitetura está preparada para desenvolver projetos de arquitetura de usos residencial, comercial, misto, serviços, hotéis e shopping-centers.

O escritório também é especializado em serviços de consultoria de legislação urbanística voltada para planos diretores, urbanização de favelas e projetos de arquitetura.

Por dentro de Copacabana: descobrindo os espaços livres do bairro

c
outubro 15th, 2012

O objetivo deste livro é determinar os critérios para a análise da qualidade na construção de um espaço urbano. Para a verificação empírica desse objetivo, os critérios elencados para análise, abrangentes e passíveis de utilização em qualquer lugar, foram aplicados ao estudo de caso escolhido:, o bairro de Copacabana na cidade do Rio de Janeiro. Esse bairro foi selecionado por apresentar, na estrutura morfológica de seu tecido urbano, uma situação distinta da maioria dos bairros da cidade. As quadras apresentam espaços livres internos – denominados pela legislação Áreas Coletivas – , que constituem um rico sistema de espaços livres privados, tornando-se objeto específico de análise deste trabalho. A abordagem adotada para desenvolver a pesquisa foi focada principalmente na análise espacial da relação entre os espaços livres e os espaços edificados, e entre esses e os espaços livres públicos, mais especificamente, as ruas.

A escolha deste tema é fruto de questões que fazem parte da minha trajetória profissional e que permeiam minhas pesquisas acadêmicas: a questão da morfologia da cidade do Rio de Janeiro e a construção da paisagem urbana através da legislação urbanística e edilícia. Esta experiência profissional se refletiu durante todo o processo de pesquisa. Em vários momentos, questões surgiam e as respostas brotavam frutos do conhecimento adquirido ao longo de 19 anos, durante os quais li, estudei, analisei e critiquei as posturas edilícias da cidade do Rio de Janeiro.

Ao decidir por este tema, após um ano cursando o Mestrado, participando do Grupo de Pesquisas do Sistema de Espaços Livres do Rio de Janeiro (SEL-RJ) e lecionando como professor substituto na FAU/UFRJ, pude aprofundar o meu interesse pelos espaços livres do bairro, principalmente quanto à formação das áreas coletivas intraquadras. A participação no grupo SEL-RJ pôde dar à pesquisa um suporte teórico e de conhecimento que faltava à minha experiência profissional e até mesmo acadêmica. Através das trocas de conhecimentos com outros pesquisadores desse grupo, em nível regional e nacional, pude solidificar a base teórica para desenvolver a pesquisa. O conhecimento em legislação urbana me possibilitou identificar como a evolução do bairro de Copacabana, através das modificações em suas legislações edilícias, configurou os espaços livres do bairro.

Em diversas ocasiões em que apresentei parte da minha pesquisa, observei o interesse que assuntos relacionados a Copacabana despertam nas pessoas, tanto no meio acadêmico quanto no profissional. Algumas que conheciam um pouco do bairro, sempre me questionaram como surgiu este grande espaço “vazio” nos fundos dos edifícios e afirmam que nunca imaginaram que, atrás daquele “paredão” de edifícios, pudesse haver um lugar tão distinto do perfil mais conhecido do bairro. Para a maioria das pessoas, esse é um fato desconhecido e que resolvi trazer à tona através deste trabalho.

Ao me candidatar para o Mestrado no Proarq/FAU-UFRJ em 2007, meu tema contemplava a análise dos espaços construídos e dos espaços livres, mas, com o tempo e com o desenrolar do primeiro ano de curso, foi se consolidando a ideia do objeto real da pesquisa, relacionado aos espaços livres privados do bairro, às áreas coletivas intraquadras, e ao uso da legislação urbanística como chave de leitura para demonstrar como o bairro foi sendo edificado e como foram sendo delimitados os seus espaços livres. Após a consolidação das bases teóricas e metodológicas do trabalho, parti para o desenvolvimento das análises específicas sobre o bairro.

Escolhendo cinco quadras para aprofundamento, onde foram aplicados os critérios de análise, procurei responder a algumas questões que mais aguçavam meu interesse e a minha curiosidade, que eram:

Seja o primeiro a comentar este texto.